PESQUISA IBGE APONTA QUE CONTINUA A DESIGUALDADE NA DISTRIBUIÇÃO DE RENDA NO BRASIL

15 DEZ 2017
15 de Dezembro de 2017

O Brasil encerrou o ano de 2016 com 24,8 milhões de brasileiros vivendo com renda inferior a ¼ do salário mínimo por mês, algo em torno de R$ 233,00 nos valores atuais.

Isso significa que 12,1% da população do país vive na miséria, segundo a Síntese de Indicadores Sociais (SIS) divulgada nesta sexta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2016 o IBGE mudou a metodologia da SIS, passando a usar a amostra da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, que reúne informações de 3.500 municípios. Por isso, o IBGE considera que nem todos os dados da pesquisa de 2016 são comparáveis com os anos anteriores. De acordo com a classificação adotada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), famílias com renda de até ¼ do salário mínimo per capita vivem na chamada "pobreza extrema". Aqueles que vivem com até meio salário vivem em "pobreza absoluta".

O maior número de pessoas em extrema pobreza está na região Nordeste – eram 13,1 milhões de pessoas vivendo com menos de ¼ do salário mínimo por mês na região. O menor contingente de pessoas nesta condição foi registrado no Centro-Oeste – cerca de 900 mil pessoas. 

Voltar