MDB FLUMINENSE PERDE PARLAMENTARES PARA O DEM

12 MAR 2018
12 de Março de 2018

Com a imagem desgastada pelos desdobramentos da Operação Lava Jato no Estado, o MDB do Rio de Janeiro poderá ter sua bancada na Câmara dos Deputados, que já foi a maior, encolhida para menos da metade durante a chamada janela partidária, período que permite parlamentares mudarem de legenda sem risco de perda de mandato. Metade desses dissidentes emedebistas deve migrar para o DEM, partido do presidente da Casa, Rodrigo Maia (RJ). Desde que o MDB fluminense viu seus principais líderes serem presos - o ex-governador Sérgio Cabral, o deputado federal cassado Eduardo Cunha e o presidente afastado da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani -, o partido tem perdido espaço político no Estado. Apenas nos primeiros dias da janela partidária, que começou na semana passada e vai até o dia 7 de abril, quatro dos oito deputados do MDB do Rio que estavam no exercício do mandato já se desfiliaram ou comunicaram que deixarão a legenda. Dois deles anunciaram filiação ao DEM: Laura Carneiro e Zé Augusto Nalin. Já o deputado Altineu Côrtes informou que retornará para o PR, enquanto Celso Pansera se filiou ao PT.

Outros dois deputados do MDB fluminense também negociam filiação ao DEM: Alexandre Serfiotis e Soraya Santos.

Voltar