OPERAÇÃO DA PF CONTRA LAVAGEM DE DINHEIRO DO TRÁFICO PRENDE OITO

15 MAI 2018
15 de Maio de 2018

Nesta terça-feira (15/05), a Polícia Federal prendeu oito investigados durante a Operação Efeito Dominó deflagrada contra a lavagem de dinheiro de tráfico internacional de drogas. Em nota, o órgão informou que identificou "uma complexa e organizada estrutura destinada à lavagem". A PF investigou a "atuação concreta e direta" de dois operadores financeiros (doleiros) já conhecidos de operações anteriores da Polícia Federal - Operação Farol da Colina (Caso Banestado) e Operação Lava Jato. Ambos foram alvos de tais investigações pelas práticas dos mesmos crimes investigados. Um dos alvos é o doleiro Carlos Alexandre, o Ceará, delator da Lava Jato. "Quanto ao operador financeiro ("doleiro") já investigado da Operação Lava Jato, chama atenção o fato de ter retornando às suas atividades ilegais mesmo tendo firmado acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República e posteriormente homologado pelo Supremo Tribunal Federal. A Procuradoria Geral da República e Supremo Tribunal Federal serão comunicados sobre a prisão do réu colaborador para avaliação quanto a 'quebra' do acordo firmado", afirma a PF. Cerca de 90 policiais federais cumprem 26 ordens judiciais, sendo 18 mandados de busca e apreensão, cinco mandados de prisão preventiva e três mandados de prisão temporária nos Estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. A ação é um desdobramento de investigações iniciadas em 2017 e que resultaram na Operação Spectrum. No ano passado, a Polícia Federal desarticulou uma enorme estrutura estabelecida para o tráfico internacional de drogas e comandada por Luiz Carlos da Rocha, o Cabeça Branca, um dos maiores traficantes de drogas da América do Sul com conexões em dezenas de países.

Voltar