A CORRIDA PELO TÍTULO NA CATEGORIA PESO-LEVE DO UFC

 em Entretenimento

Antes de mais nada, a divisão mais competitiva do UFC, talvez da história da organização, vive um momento agitado e de muitas especulações sobre o seu futuro. Pode ser exagero dizer que é a mais competitiva da história, mas não tem como negar que não está longe disso. Até porque conta com nomes como: Khabib Nurmagomedov, Justin Gaethje, Dustin Poirier, Tony Ferguson, Conor McGregor, Dan Hooker, Charles Do Bronx, Rafael dos Anjos, Paul Felder e Michael Chandler. Com boa parte deles vivendo seus melhores momentos profissionais. Seja qual for o confronto que vá ocorrer entre os nomes acima. É de um grande potencial para futuras lutas principais ou co-principal de qualquer evento, seja card numerado ou Fight Night.

Khabib Nurmagomedov

O campeão e invicto Khabib Nurmagomedov (29-0), anunciou a aposentadoria logo após sua mais recente vitória sobre Justin Gaethje. Porém, utilizou suas redes sociais nos últimos dias para revelar que realizou seu 47° teste antidoping pela USADA, desde sua chegada ao UFC. Isso tem um significado importante. Apesar de anunciar sua retirada em pleno octógono na sua última luta, primeira após a perda de sua pai, o daguestanês não retirou seu nome da lista de testes antidoping. Com isso, podendo significar que ele se mantém apto a competir pela organização. Agora, se Nurmagomedov vai ou não retornar, só o futuro dirá. Khabib mantém a posição de que não retornará, mas os próximos meses podem fazê-lo mudar de ideia.

Dustin Poirier e Conor McGregor

Já os números #2 e #4 do ranking, Dustin Poirier e Conor McGregor respectivamente, têm encontro marcado para o dia 23 de janeiro. Dana White já confirmou que essa luta não valerá o título da divisão, conforme especulava a imprensa especializada. Pois o mandatário máximo da organização ainda confia no retorno do campeão, Khabib Nurmagomedov. Porém, em caso de vitória do irlandês, o clamor pela revanche contra Khabib será enorme.

E se tem uma coisa que Conor sabe fazer muito bem, é provocar seus rivais e promover lutas. Com isso, o irlandês não vai deixar o daguestanês encostar a cabeça no travesseiro sem lembrar dele. Sendo assim, provável que irá pressionar o UFC a entregar o cinturão caso Khabib não se manifeste. E sabemos, pedido vindo da “galinha dos ovos de ouro”, é quase uma ordem. O atual discurso ameno de Dana White, confiando na manutenção do cinturão a Khabib, será outro caso Conor vença.

O retorno de Tony Ferguson e o embate com Charles do Bronx

Por outro lado, uma vitória de Dustin Poirier, que certamente terá a torcida da divisão inteira, não vai levá-lo diretamente a disputa do cinturão. Caso Khabib se mantenha ativo, no máximo colocará Poirier a uma vitória do title shot. Isso porque seu último confronto foi justamente contra Khabib, onde ele foi amplamente dominado. E um ponto chave neste enredo é que, Dustin vencendo, colocará em evidência o vencedor de Tony Ferguson e Charles do Bronx. Que já terão se enfrentado no dia 12 de dezembro, no card do UFC 256.

Charles, enfim, conseguiu a tão esperada luta contra um dos “cabeças” da divisão. No caso, o “bicho-papão” Tony Ferguson. Nada mais justo para do Bronx, que vem de sete vitórias consecutivas e é o recordista de vitórias via finalização na história do UFC. Com isso, uma vitória do brasileiro combinada com a vitória de Poirier, pode render a Charles o tão sonhado title shot contra Khabib. Ou uma luta contra outro adversário. Talvez Poirier ou Conor, pelo título linear da divisão, caso Khabib mantenha a palavra e não volte a lutar. Pode-se dizer que o cenário é exatamente o mesmo para Ferguson. Caso ele saia vencedor no duelo contra o brasileiro.

Rafael dos Anjos retornando a categoria

Contudo, o retorno de Rafael dos Anjos ao peso-leve, trouxe mais um ingrediente forte à divisão. Em outras palavras, o brasileiro que já foi campeão na categoria até 70kg, retornou com uma vitória de respeito contra o duríssimo Paul Felder. Rafael tem em seu cartel, vitórias sobre atletas renomados. E conta com o respeito dos adversários pelos seus feitos e com a admiração do público.

O brasileiro também atua muito bem nos bastidores. Ou seja, suas entrevistas sempre são diretas e seus objetivos são claros. O argumento utilizado pelo brasileiro de que, de todos os tops da divisão, somente ele e Conor já ostentaram o cinturão linear. Foi um tiro certeiro de RDA. Inclusive, Conor, por meio de sua conta no twitter, concordou com o argumento do brasileiro e se disse pronto para um futuro confronto. Rafael voltou com o pé direito, e se conseguir uma boa luta na sua próxima rodada e vencê-la. Ficará como cotado a próximo desafiante, isso óbvio dependendo do desenrolar da divisão até lá.

Um novo nome de peso na categoria dos leves

Michael Chandler foi mais um que chegou com muita força. Ex-campeão do Bellator e sonho antigo do UFC. Chandler foi contratado e em poucos dias, já estava na condição de “step” da luta entre Khabib e Gaethje. Isso mostra que o americano está cotadíssimo pra disputar o título em breve. Claro que pra isso ele vai precisar fazer pelo menos uma luta. E o nome que surge, até por estar sem adversário, e que certamente não veria problemas em dar as boas vindas a Chandler, é justamente o do último desafiante ao título, Justin Gaethje. Para Gaethje, essa luta cairia como uma luva. Porque poderia levá-lo de volta aos trilhos e colocá-lo novamente em evidência, após sua performance fraca frente ao campeão.

Em suma…

Então, tentando montar esse “quebra-cabeça”, temos dois cenários: Um com Khabib desistindo da aposentadoria, e outro com a manutenção da decisão de não voltar a lutar. Vamos seguir pelo caminho que parece mais provável, dele não retornar pelo menos até o final do próximo ano. Neste caso, nos arriscamos a dizer que os vencedores de Do Bronx x Ferguson e McGregor x Poirier, fariam a luta valendo o cinturão vago da divisão. Com um novo campeão viriam como prováveis futuros desafiantes, quem se destacar entre Michael Chandler, Rafael dos Anjos e Justin Gaethje. Seja qual for os adversários que eles venham a enfrentar.

O fato é que, independente do que venha acontecer, o certo é que os fãs têm muito a ganhar com isso no quesito entretenimento. São muitos talentos, com características diferentes, de países diferentes e todos eles cientes que sua próxima luta será decisiva. Seja qual for o casamento teremos verdadeiros espetáculos de MMA no octógono do UFC.

Postagens Recentes
Clique aqui  para ouvir nossa programação
Baixar APP
close-image
Clique aqui  para ouvir nossa programação